quarta-feira, 25 de junho de 2008

XANGÔ: O ORIXÁ GUERREIRO

O culto central no Candomblé é o culto aos Orixás. Etimologicamente a palavra significa, em Iorubá, a língua falada pela nação Nagô, como aquele que governa a cabeça.


Os Orixás, em verdade, foram ancestrais de antigas tribos da África negra que foram simbolicamente divinizados ao longo dos séculos até serem transformados em mitos. Sua presença se manifesta sob diversas formas na vida cotidiana das pessoas e da natureza, seja o fogo, o vento, a água, enfim todos os elementos. “Ali se estabeleceu a diferença entre um antepassado e um Orixá, de acordo com o culto exercido, seja ele particular ou público. O antepassado da família foi honrado pelos seus em seu próprio espaço. O Orixá transcende o círculo da família. Pertence a um determinado povo, que o reconhece como ancestral. Os adeptos se reúnem ao seu redor, a fim de celebrar um culto público. Os Orixás têm a função de intermediários entre o grupo que representa e o Deus supremo longínquo, no qual o referido grupo acredita” - Verger, 1957 e L’Espinay, 1982."Os Orixás representam uma presença cantante e dançante dos ancestrais no meio dos seus para dizer-lhes de sua alegria de estar no meio deles e da certeza que podem ter de contar com eles"


O mês de Junho é o mês dedicado a Xangô que é muito popular no Brasil. Xangô é miticamente um rei, alguém que cuida da administração, do poder e, principalmente, da justiça - representa a autoridade constituída no panteão africano.

Xangô é sincretizado, a depender da região, com São Jerônimo, São Pedro, São João Batista. É o Senhor da justiça. Seu símbolo é o machado de duas faces, significando que o machado tanto protege seus filhos das injustiças como os punem quando as cometem, bem como, a Estrela de 6 pontas cujo símbolo é em si o poder equilibrador do Universo.

Xangô é íntegro, indivisível, irremovível; com tudo isso, é evidente que um certo autoritarismo faça parte da sua figura e das lendas sobre suas determinações e desígnios.Suas decisões são sempre consideradas sábias, ponderadas, hábeis e corretas.


Ele é o Orixá que decide sobre o bem e o mal. Ele é o Orixá do raio e do trovão. Miticamente, o raio é uma de suas armas, que ele envia como castigo. Ninguém, porém, deve temer sua cólera como uma manifestação irracional.


Xangô tem a fama de agir sempre com neutralidade (a não ser em contendas pessoais suas, presentes nas lendas referentes a seus envolvimentos amorosos e congêneres). Seu raio e eventual castigo são o resultado de um quase processo judicial, onde todos os prós e os contras foram pensados e pesados exaustivamente - a famosa balança da Justiça.


http://pt.wikipedia.org/wiki/Orix%C3%A1

Nenhum comentário: