sábado, 7 de março de 2009

A REVOLUÇÃO PERNAMBUCANA DE 1817


Os ideais libertários da Revolução Pernambucana de 1817, também chamada Revolução dos Padres marcaram profundamente os ideais brasileiros de independência, nativismo e nacionalidade no Brasil. e particularmente no Nordeste.

Revolução operada na Praça do Recife, aos seus do corrente mês de março, em que o generoso esforço dos nossos bravos patriotas exterminou daquela parte do Brasil o monstro infernal da tirania real” (Tipografia da República de Pernambuco – Segunda Vez Restaurado). Assim noticiava o jornal dos revolucinários.

Aquela antiga revolução sob a liderança e iniciativa de Pernambuco, como a principal Província do Norte do Nordeste, atingiu as Províncias do Ceará, da Paraíba e Rio Grande do Norte, esta última ainda parte integrante de Pernambuco. Passados quase dois séculos a data transformou-se em 2006, em Data Magna do Estado de Pernambuco.

Porém essa data não foi devidamente trabalhada com o povo de forma que o povo desconhece o valor dessa Revolução. Certamente de maior importância para Independência do Brasil do que a Inconfidência Mineira, inclusive com maior número de mártires, que nos dias atuais os historiadores tem descoberto outros viés no interesse de seu maior herói, o Tiradentes, ao qual a pátria reverencia pelo feriado de 21 de abril,.


Esquecidos na história, lembrados em algumas ruas, e raros monumentos, estão os mártires da Revolução Pernambucana de 1917, tais como Padre Miguelinho (Miguel Joaquim de Almeida Castro), fuzilado no largo do Campo da Pólvora, em Salvador, em 12/06/1817, José Martins de Sousa e José Luiz de Mendonça, presos com gargalheiras e correntes, ao modo de punição de escravos fugitivos, condenados e executados sob acusação de crime de lesa-majestade.

Outros revolucionários tiveram outros fins trágicos: José Inácio Ribeiro de Abreu e Lima, conhecido como Padre Roma, (Recife, 17681817 ), foi executado na Bahia, o Padre João Ribeiro Pessoa de Melo Montenegro http://www.institutodoceara.org.br/Rev-apresentacao/RevPorAno/1983/1983-OPadreJoaoRibeiroPessoaseriacearense.pdf, suicidou-se no Engenho Paulista, teve seu corpo mutilado, suas mãos enviadas para Goiana, sua cabeça num poste do Recife... Domingos Teotônio Jorge, José de Barros Lima ( o Leão Coroado) e José Peregrino, de apenas 18 anos, subiram no patíbulo do Recife, afora mais de uma centena de condenados.

Passados quase 200 anos, esquecemos, ou nos fizeram esquecer – é bom não nos fazermos de vítima - um passado de lutas pela liberdade e hoje entregamos nossos destinos, através de votos inconscientes, comprados, vendidos... ou através da falta de cidadania, nas mãos de grupos políticos inescrupulosos, sem moral e sem ética, que usam e abusam do povo, os exploram com impostos, e roubalheiras da pátria e da coisa pública, tal qual a corte portuguesa e os idos 1817, motivos pela qual houve a Revolução Pernambucana de 1817.

"O sonho durou apenas 74 dias e acabou debaixo de uma repressão violenta e muito cruel, que fez 1.600 mortos e feridos e mais de 800 degredados. Seu significado e conseqüências, porém, foram imensos. E pela sua importância e magnitude, é espantoso o esquecimento a que foi relegado, até mesmo em Pernambuco. Os revolucionários de 1817 não foram perseguidos apenas em vida: a sua história também foi apagada da memória popular. Conseguiram transformá-la, apenas, nas “desmaiadas lembranças” do verso de Carlos Pena Filho". 1

Descansem em paz, heróis de 1817, mas despertem com seus espíritos imortais novo vigor revolucionário nas mentes de nossos jovens, pois os mais velhos parecem estar perdidos!


1 http://www.grucalp.org.br/o_olho/html_files_editions_oct2007/5weekoct2007/anoivadarevol.htm

http://pt.wikipedia.org/wiki/Revolu%C3%A7%C3%A3o_Pernambucana
http://www.race.nuca.ie.ufrj.br/journal/m/mello2.doc
http://www.historiacolonial.arquivonacional.gov.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=698&sid=89&tpl=printerview
http://www.resenet.com.br/ahimtb/c3b.htm
http://www.dei.rn.gov.br/arearestrita/sistema_de_suplementos/arquivossuplementos/arq46b25cabbec05.pdf
http://www.memorialpernambuco.com.br/memorial/paginas/historia/118revolucao_de_1817.htm
http://www.dei.rn.gov.br/arearestrita/sistema_de_suplementos/arquivossuplementos/arq46b25cabbec05.pdf
http://maniadehistoria.wordpress.com/2009/03/05/revolucao-de-1817/
O texto é de Washington Luiz Peixoto Vieira. Imagens de Antonio Parreiras, da breve República de Pernambuco. Bênção das bandeiras da Revolução de 1817 e os Mártires de 1817, óleo sobre tela, início do século XIX , museu Antonio Parreiras.

3 comentários:

Prof. Luís Carlos - luislins@oi.com.br disse...

Muito obrigado pela citação ao nosso Mania de História!

Parabéns pelo blog e um abraço,

Luís Carlos
Cabo/PE/Brasil

Maria de Fátima disse...

Considero bastante pertinente as colocações e concordo quando o senhor diz que a população ainda desconhece a importância da referida Revolução bem como de seus mártires, senti falta apenas de ver citado o nome do Padre Pedro de Souza Tenório, (Vigário de Itamaracá), também um mártire (enforcado em 10 de julho de 1817)e que deu grande contribuição a respectiva Revolução. Aproveito a oportunidade para pedir sua ajuda, no sentido de realizar uma pesquisa profunda sobre o Padre Pedro de Souza Tenório, não tenho tido muito sucesso em minhas fontes, talvez esteja consultando de forma equivocada, tenho um enorme interesse em conhecer melhor sua história lutas e coragem.

Agradeço a atenção concedida e ficarei no aguardo de uma resposta,

Fátima Tavares

Maria de Fátima disse...

Considero bastante pertinente as colocações e concordo quando o senhor diz que a população ainda desconhece a importância da referida Revolução bem como de seus mártires, senti falta apenas de ver citado o nome do Padre Pedro de Souza Tenório, (Vigário de Itamaracá), também um mártire (enforcado em 10 de julho de 1817)e que deu grande contribuição a respectiva Revolução. Aproveito a oportunidade para pedir sua ajuda, no sentido de realizar uma pesquisa profunda sobre o Padre Pedro de Souza Tenório, não tenho tido muito sucesso em minhas fontes, talvez esteja consultando de forma equivocada, tenho um enorme interesse em conhecer melhor sua história.

Agradeço a atenção dispensada e ficarei no aguardo de uma resposta,


Fátima Tavares